Clube de leitura “Leia Mulheres Sarapuí” divulga programação para maio e junho

“A bolsa amarela” e “Quarto de despejo” serão as próximas leituras do grupo.

O Clube de leitura Leia Mulheres Sarapuí se reunirá no dia 27 de maio, às 15h, na praça de baixo, para falar sobre o livro “A bolsa amarela”, de Lygia Bojunga. A obra é conhecida de muitos adultos que tiveram contato com ela na época da escola.

Confira a sinopse: “A bolsa amarela é um romance de uma menina que entra em conflito consigo mesma e com a família ao reprimir três grandes vontades (que ela esconde em uma bolsa amarela) – a vontade de ser gente grande, a de ter nascido menino e a de se tornar escritora. A partir dessa revelação – por si mesma uma contestação à estrutura familiar tradicional em cujo meio “criança não tem vontade” – essa menina sensível e imaginativa nos conta o seu dia-a-dia, juntando o mundo real da família ao mundo criado por sua imaginação fértil e povoado de amigos secretos e fantasias. Ao mesmo tempo que se sucedem episódios reais e fantásticos, uma aventura espiritual se processa e a menina segue rumo à sua afirmação como pessoa.”

Em junho, o encontro será realizado na Escola Imaculada, junto ao Programa Escola da Família. Será no dia 11, a partir das 15h. Para esse encontro, o livro escolhido foi “Quarto de despejo”, de Carolina de Jesus. A obra está disponível nas bibliotecas das escolas estaduais para empréstimo.

Veja o resumo: “Em 1960, um jornalista brasileiro chamado Audálio Dantas visitou a favela do Canindé, em São Paulo, local onde vivia Carolina Maria de Jesus, ficando-se encantando com a autora que apesar de ser uma mulher extremamente pobre e simples, demonstrava uma grande lucidez crítica.  No livro, a autora escreve um diário narrando o seu dia a dia nas comunidades pobres da cidade de São Paulo. Em sua narrativa, Carolina descreve a dor, o sofrimento, a fome e as angústias dos favelados. Seu texto é considerado um dos marcos da escrita feminina no Brasil. Quarto de Despejo foi traduzido para mais de treze idiomas. O diário descreve as vivências da autora no período de 1955 a 1960.”

A participação no Clube de Leitura Leia Mulheres Sarapuí é gratuita e não é necessário se inscrever previamente. A intenção é incentivar a leitura de autoras mulheres e a participação é livre também para meninos e homens. As atividades tiveram início em fevereiro de 2016 e a mediação é da jornalista Fernanda Gehrke.