SARAPUÍ DESTACA-SE NA PRODUÇÃO DE LEITE DE BÚFALA.


-Leia matéria do nosso Diretor de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente – Marcio Sturaro.

“Os búfalos são animais extremamente dóceis e de fácil manejo, além de extremamente versáteis, pois se adaptam a condições ambientais extremas, desde locais alagados até desertos, de locais extremamente quentes até temperaturas negativas, porém existem condições ideais de tratamento dos animais para a obtenção dos rendimentos máximos com a produção de leite e carne.
O município de Sarapuí apresentou em novembro de 2015 o maior rebanho de bubalinos da região do Sodoeste Paulista, totalizando 3439 animais com o propósito prioritariamente de exploração leiteira e de carne em menor escala. Nesse município está implantada a Cooperativa dos Produtores de Leite e Demais Produtos da Agricultura Familiar do Município de Sarapuí e Região – COLAF, a qual reúne grande quantidade de leite bubalino para a comercialização dentro e fora do estado de São Paulo.
A criação de búfalas de leite é uma atividade diretamente ligada a agricultura familiar, sendo que a terra, a gestão e o trabalho estão intimamente ligados a família e é desenvolvida em propriedades normalmente menores que 40 hectares, o que demonstra sua importante função socioeconômica dentro do Município, através da geração direta e significativa de trabalho e renda.
Sarapuí registrou em novembro de 2015 um total de 57 bubalinocultores envolvidos com as atividades de produção de leite e carne e em grande parte dos casos os bubalinocultores são uma geração que herdou essa atividade dos seus pais e possuem atualmente menos de 50 anos de idade e alguns filhos já expressam interesse em permanecer na atividade.
Na maioria dos casos a bubalinocultura não é o única atividade presente no estebelecimento rural e juntamente com outras criações e cultivos compõe a renda bruta anual das famílias de agricultores. O pico de lactação produção das búfalas ocorre em pleno período de inverno o que não ocorre com a maioria das atividades agrícolas e isso permite uma significativa garantia de renda para essas famílias durante o período de estiagem mais severa do ano.
A atividade de produção de leite e carne de bubalinos em Sarapuí e em boa parte da região ainda é extremamente rudimentar e necessita da aplicação de técnicas e tecnologias básicas a campo visando o aumento da produção e da qualidade do produto obtido com a exploração econômica dos rebanhos comerciais.
O leite possui excelente qualidade nutricional, pois apresenta mais aminoácidos essenciais, maior teor de vitamina A, alta porcentagem de minerais, ele possui 33% menos colesterol, 48% mais proteína, 59% mais cálcio e 47% mais fósforo quando comparado ao leite bovino. O leite possui altas concentrações de lactose, ácidos graxos essenciais, vitamina C e altos níveis de imunoglobulinas, lisozima e lactoferrina
O leite bubalino também possui mais sólidos totais o que permite um rendimento até 100% superior na produção de derivados como a mozzarella. O leite de búfala possui o dobro de ácido linoleico conjugado do que o leite de vaca e essa é uma substância anticancerígena, a qual atua, também, sobre os efeitos secundários da obesidade, da arteriosclerose e da diabetes.
O leite bubalino por possuir qualidade e rendimento excelentes para a produção de queijos e derivados possui um preço mais elevado em relação ao bovino. A cadeia explicita uma ótima possibilidade de agregação de valor ao produto já que os alimentos advindos do seu processamento são muito bem aceitos e remunerados por mercados finos por possuir maciez e sabor adocicado.
O leite de búfalas é comercializado hoje pela cooperativa COLAF a R$ 1,95 litros, o que corresponde ao dobro do preço do litro do leite bovino recebido pelos produtores de leite pouco tecnificados da região, o que proporcionalmente é adequado devido ao dobro do rendimento do leite em derivados. O preço não ultrapassava R$ 1,15 o litro a 3 anos atrás, pois os produtores comercializavam o leite separadamente e ficavam suscetíveis ao preço oferecido pelos atravessadores.
A produção de leite obtém um segundo produto de grande importância, que são os bufalinhos, dos quais as fêmeas podem formar novos plantéis e os machos geralmente são destinados ao abate. A carne assim como o leite possui qualidade nutricional superior a dos bovinos, porém em nossa região existe um mercado específico ainda modesto.
A Diretoria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente, através da Casa da Agricultura de Sarapuí apoia e ajuda no planejamento das ações da cooperativa COLAF como forma de fortalecer a agricultura familiar do município e tornar a bubalinocultura um ramo ainda mais forte da agropecuária local e regional.
A Prefeitura Municipal de Sarapuí forneceu um terreno na zona industrial do município para a utilização da cooperativa COLAF, visando a futura construção de uma central de reunião e resfriamento do leite captado dos bubalinocultores do município e da região, como forma de fortalecer a instituição e possibilitar ganhos em qualidade com o consequente aumento do valor pago aos produtores rurais.
Políticas públicas específicas voltadas para o desenvolvimento da bubalinocultura, realização de pesquisas e extensão rural destinados ao setor são fatores primordiais para a expansão e o desenvolvimento dessa cadeia de produção de forma sustentável, garantindo desenvolvimento socioeconômico das comunidades rurais envolvidas com essa atividade e proporcionando a sucessão profissional na atividade com a atração dos filhos a permanecerem no campo com boas condições de vida.”

Márcio José Ricardo Sturaro
Diretor de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente
Engenheiro Agrônomo
Mestre em Sanidade, Segurança Alimentar e Ambiental no Agronegócio.